sábado, janeiro 06, 2007

Segunda leitura

No afectuoso 'blog' pé-de-meia, que estimo e visito com a frequência que os dias permitem, era dada notícia ontem de ter sido colocado à venda nos Estados Unidos um boneco representando Saddam Hussein de corda ao pescoço. O primeiro impulso foi lamentar a ideia e estranhar a facilidade ética com que os mecanismos patriótico-comerciais americanos se movem. Mas algo me reteve a mão. E foi a meio da noite, escurecida a mente e a razão, que alicerçado nos comentários indignados, me lembrei: então e se fosse o boneco de um judeu pregado numa cruz? Seria mau gosto? Seria horrível? Seria fanatismo? Seria folclórico? Seria vergonhoso? Seria escabroso? Seria horrível? Seria mórbido? O que seria? Seria comércio, fé ou selvajaria?

Ikivuku

2 comentários:

Elipse disse...

Questão muito complicada...
Que fazer com o tédio de continuar à espera do Messias?
Vão-se vendendo umas coisinhas, sempre se faz negócio e dá-se emprego a mais gente!

Uma vez, em miúda, ouvi esta frase que retive: se Jesus Cristo tivesse vivido no século XX, andaríamos com uma cadeira eléctrica pendurada ao pescoço.

Mesmo assim, continuo a dizer o mesmo... o mundo devia ter vergonha de si próprio. Mas a vergonha é uma coisa redutora, anti-progresso, anti-tudo...

E dei comigo a usar conceitos e imagens que estão nas origens da minha educação judaico-cristã, aquela de que nenhum de nós se livrou ou livra, aqui neste lado do mundo.

Compliquei ainda mais!!!

Mo disse...

daqueles que brilham no escuro???